Início > Matérias, Noticias, Resenhas > Arnaldo Tifu – A Rima Não Para

Arnaldo Tifu – A Rima Não Para

Capa do disco

Desde que comecei a escrever sobre discos de Rap brasileiro, em 1999, quando ainda fazia fanzines, já escrevi sobre mais de 300 trabalhos. De todo esse material devo ter guardadas algumas poucas dezenas de resenhas, o restante deve estar por ai, em algum lugar dessa grande rede. Vejo essa trajetória como uma grande contribuição para a parte musical da Cultura Hip-Hop. Faz algum tempo que não escrevo sobre discos de Rap brasileiro, até essa primeira semana de 2010 eu não sabia explicar o porque desse “jejum”, mas ai quando chegou às minhas mãos o disco “A Rima Não Para”, primeiro álbum solo de Arnaldo Tifu, consegui a resposta. Estava faltando um trabalho que me motivasse, mas essa motivação não deveria vir apenas pela qualidade musical, era preciso que esse trabalho tivesse uma base sólida, tanto do artista em questão quanto de quem está junto com ele em todo o processo.

Esse é o caso desse disco, não é apenas o talento do MC e a qualidade musical que me motiva a escrever, mas também a banca que ele faz parte, no caso o selo Pau-de-dá-em-doido. Uma rapaziada que tem um legado de mais de 10 anos, um histórico de respeito, com diversos discos lançados de maneira séria, inclusive em vinil! Armagedom, Polemikaos, DJ Nato, Enézimo, todos lançaram discos através do selo e agora chegou a vez de Arnaldo Tifu, pra mim uma das grandes revelações do Rap nos últimos anos. MC no real sentido do termo, alegre, divertido, com muita energia positiva, rimador com sorriso no rosto, poeta, compositor, consciente de sua função no palco e com o microfone, conhecedor da importância dos 4 elementos do Hip-Hop e membro do selo PDD.

Com tantos trabalhos lançados sem seriedade, visando apenas o virtual, não dá pra deixar passar batido trabalhos sérios, lançados por gente que tem credibilidade de sobra, na rua e fora dela. Gente que está preocupada com o impacto do Rap no mundo real, sempre envolvidos em projetos importantes para a nossa Cultura. Para reforçar ainda encontro no verso do encarte o lotipo da Arame Records como apoio, motivação completa e grande satisfação em saber que é “nóis por nóis” mesmo! Mas pra reforçar mais ainda toda essa motivação, vejo também que o disco foi masterizado por Vander Carneiro, no Atelier Studio. Somando todos esses nomes à qualidade do artista, resolvi escrever essa resenha.

O disco tem 19 faixas, algumas participações, músicas produzidas pelo DJ Nato PK, Bruno Cabrero, Heron Beats, Sagat e Silvera. Antes de falar sobre algumas faixas é preciso ressaltar também a grande participação dos DJs nesse disco, muitos scratches e colagens. Coisa que tem faltado em muitos outros discos, Rap sem DJ é que nem Rock sem guitarra, não existe!

No dia 16 de dezembro, na última edição da Quarta Elementos em 2009, tive a oportunidade de ver o show do Tifu e escutar algumas faixas ao vivo, a partir daquele dia fiquei ansioso pra ouvir o disco inteiro.

O disco começa com uma abertura de apresentação, comum em discos de Rap, mas no caso do Tifu, de acordo com o título do disco, essa apresentação vem rimada na faixa “Sei quem soul”, com participação de DJ Nato e produção de Sagat. Na faixa “Tô em casa” ele vem acompanhado de Enézimo com um refrão onde mostra que com ele não tem espaço pra tristeza “eu tô em casa, tô, tô em casa, rima rara positiva representa a raça / eu tô em casa, tô, tô em casa, sorriso na cara, rima na praça, eu tô em casa”. Em “Flores” ele fala de diversas situações como se o mundo e a vida fossem um jardim, o refrão é dividido com o DJ Nato. Suas vontades e desejos estão na música “Quero”, com participação de Filiph Neo, Sorry (Central Acústica) e Silvera, que também produziu a música.

Faz tempo que não escuto um disco de Rap com tantas palavras positivas e que não fica falando só de Rap ou só pro Rap, “O coração domina” fala da força e importância do amor em nossas vidas, “Celebração” dá conselhos e uma receita básica para ficar de bem com a vida, com a participação de Sagat e Bruno Cabrero. Antes do lançamento do disco, Tifu lançou um single que é um resumo do que é o seu trabalho, diversão! “Pra cascá” sob mais uma “batida insana” do DJ Nato “…socializar o bem é meta primordial…”. Não conheço o Heron Beats, mas levando em conta a construção do instrumental da música “Filosofia Cartola (Zica mesmo)”, o menino realmente é bom, a faixa tem participação de Enézimo e DJ Nato.

O DJ Nato não rima, mas em compensação fala muito através das colagens e produções, em “Salve” mais um refrão que ele divide com Tifu e na sequência mais um instrumental de respeito na música “De amor”, refrão cantado por Paola Evangelista. Eu tô ouvindo o disco e escrevendo e percebo que o DJ e produtor mais presente no disco me faz ficar repetitivo, quase não consigo prestar atenção na rima até que o refrão da música “O poder” rouba a cena. O espaço entre as faixas é bem curto, por isso a rima não para e ai vem “Rima na cara”, muita rima e idéia a milhão com participação de Max Musicamente, Preto R e Dantas, refrão só no começo e no fim da música. E pra falar de Rap Arnaldo convidou alguns especialistas, Carlus Avonts e Emicida na rima e nas colagens os DJs RM e Erick Jay, todos participam da faixa “Meu Rap é assim”.

A reta final do disco começa com a faixa “Leva”, produzida por Bruno Cabrero, com a participação de Márcio Sabiá cantando o refrão. “Tra-lá-lá” vem em ritmo de brincadeira de criança, quase sem tempo de pensar, mais uma vez, começa outra faixa candidata a hit com a participação de Stefanie, Enézimo e DJ Nato. Beat de quem? Daqui pra frente todos são dele, mas antes do final do disco tem um samba com Rap muito bem feito com a participação de Nenê Candeeiro e Murilo Mendes. Achei “Arma de resitência (Hip é meu escudo Hop é minha espada)” a faixa mais séria desse disco e essa tem a participação do DJ Spaiq (Thaide). Pra finalizar a faixa “Rap da mamãe”, nem precisa dizer a quem é dedicada, declaração de amor sem meias palavras, muita poesia e ritmo, afinal é isso que precisa pra que a rima não pare.

Aconselho escutar esse disco em caixas imparciais, que valorizam a qualidade e o peso das batidas. Responsabilidade na gravação e mixagem de Enézimo, DJ Nato e Diamantee, apenas a faixa “Quero” que foi mixada e produzida pelo Silvera.

No dia 23/01, a partir das 23h, o público terá a oportunidade para presenciar toda positividade, energia, alegria e talento de Arnaldo Tifu no Hole Club, na mesma noite também haverá show da Stefanie. Os DJs da noite serão Nato, Marco e Dandan e o MC será Bruno Cabrero. A entrada será com preço único de R$ 12.00, com flyer R$ 10.00 e mulher não paga até 00h20, mais informações www.holeclub.com.br.

Mais informações:
www.myspace.com/arnaldotifu
www.pau-de-da-em-doido-sa.blogspot.com
email – arnaldotifu@yahoo.com.br / arnaldotifu@hotmail.com
0xx(11) 7186.0711

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: