Início > Eventos > 2º Encontro Paulista de Hip-Hop

2º Encontro Paulista de Hip-Hop

Folheto do Evento

Folheto do Evento

Acontece no dia 29/11/2008 (sábado) o 2º Encontro Paulista de Hip-Hop, realizado pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, pelo segundo ano consecutivo, no Auditório Símon Bolívar (Memorial da América Latina).

No ano passado o evento aconteceu no dia 24/11/2007 e entre palestras, debates, oficinas e tendas expositivas representando cada um dos elementos do Hip-Hop, teve o fechamento com o show de Negra Li e Hélião.

Esse ano também acontecerão debates, palestras, oficinas, exposição de Graffiti e a participação de diversas personalidades do Hip-Hop e da comunidade negra, como: Gog, Max B.O, Rappin Hood, Leci Brandão, Tsunami All Stars, Bonga, DJs RM e Erick Jay, Markão (DMN) e muitos outros.

São articuladores da proposta o Assessor Especial para o Hip-Hop, Márcio Santos da Silva“Tchuck” -, a Curadora Ana Lúcia Silva Souza e o Rapper e apresentador Rappin Hood.

O evento será transmitido ao vivo, com entrevistas, músicas e detalhes de tudo que vai estar rolando, pela rádio virtual www.redevibe.com.br/omelhordorap. Além disso, o evento trará uma grande inovação e interação, alguns representantes dos meios de comunicação do Hip-Hop serão convidados e terão uma sala de imprensa para publicar em tempo real notícias sobre o evento.

2º Encontro Paulista de Hip-Hop – 29/11/2008
Horário: das 10h às 20h
Local – Memorial da América Latina – Auditório Símon Bolívar (ao lado do metrô Barra Funda)

Programação
Mesa 1 – 10h ás 11h30 – Hip-Hop em diálogos com as africanidades: Discute aspectos em torno das tradições de matrizes africanas, com influencia na vida de pessoas, de culturas, de espaços e tempos e também no Hip-Hop.

Mediação: Ana Lúcia Silva Souza – Pesquisadora nas áreas de Letramento, juventudes e relações raciais. Socióloga, doutoranda em Lingüística Aplicada – Unicamp, Mestre em Ciências políticas e Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

 

Palestrantes: Azoilda Loretto da Trindade (RJ) – Pesquisadora na área de educação, relações raciais e juventudes. Doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e docente universitária na Estácio de Sá – RJ; Simone Gonçalves Santos (BA) – Integra o Núcleo de Mulheres da Rede Aiyê Hip-Hop. Cursa licenciatura em Dança na Universidade Federal da Bahia.  Com o foco em corporalidades, desenvolve oficinas de gênero, juventude e Hip-Hop; Deph Paul (SP) – Graduado em música pela Universidade Livre de Música – U.L.M.-  tem envolvimentos com a área de artesanato e designer de bijouterias na The Universal Zulu Nation USA. Realiza trabalhos com temáticas de juventude, Hip-Hop e cidadania.

 

Mesa 2 – 13h30 às 15h – Senzalas, terreiros, irmandades, sambas… heranças políticas e culturais: Reverencia os saberes ancestrais que, feitos e refeitos, ao recriar o legado cultural e político das africanidades, sustentam os caminhos pelos quais se vive, se ensina e se aprende.

 

Mediação: Euller Alves – Arte Educador, cursa bacharelado em Ciências Sociais. E coordenador do Instituto Umoja Dramaturgia Negra e Cultura Afro-Brasileira, grupo que dedica-se a intervenções em espaços diversos.

 

Palestrantes: Denise Botelho – Pesquisadora nas áreas de educação e relações étnico-raciais e religiões de matrizes africanas. Doutora em Educação (FE/USP). Professora Adjunta do Departamento de Planejamento e Administração (PAD) da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB); Leci Brandão – Cantora e Compositora renomada de inúmeros sambas. Sempre com o olhar voltado para o cotidiano das pessoas discute políticas e aspectos relacionados a cultura e a musicalidade negra do Brasil; Lamartine Silva – Rapper, ex-integrante do Clã – Nordestino, com trajetória bastante conhecida. Como ativista tem envolvimento com projetos de incentivo a cultura e com organizações políticas do universo do Hip-Hop.

 

Mesa 3 – 17h às 18:30 – 120 anos? abolição? se você não canta, quem vai cantar?: Reafirma o Hip-Hop como parte do processo de (re) existências nos 120 anos da abolição, ainda incompleta.  Neste cenário a cultura Hip-Hop produz e faz circular estratégias de cantar as desigualdades como forma de agir em sociedade.

 

Mediação: Leandro da Silva Rosa – Assessor de Cultura para Gêneros e Etnias na Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. E sociólogo com Doutorado em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara – UNESP.

 

Palestrantes: Matilde Ribeiro – pesquisadora na área de gênero e etnia.  Mestre em Psicologia Social. Esteve a frente do cargo de Ministra da Seppir Secretaria Especial e Política de Promoção para a Igualdade Racial; Joelzito Almeida – roteirista e diretor de cinema, TV e vídeo com destaque para as temáticas: diversidade racial, identidade negra, racismo e mídias. Doutor em Ciência da Comunicação – diretor dos filmes Negação do Brasil, Filhas do Vento e outros; Parteum – Rapper, produtor e beatmaker. E um dos MCs do Mzuri Sana grupo do qual faz parte com suas rimas fortes que pedem reflexão e atitude. 

 

Foyer – Nas ruas da literatura com Alan da Rosa

11h – Oficina de literatura com o escritor periférico Alan da Rosa.

14h – Alan da Rosa convida para conversar:

 

Parte externa do Memorial da America Latina – Apresentação Max B.O

 

Grafitando no Encontro: Acontecerão duas oficinas no horário das 11h e das 15h. O responsável é o grafiteiro Bonga, que domina várias técnicas e possui diversos trabalhos espalhados pela cidade de São Paulo, convidando outros artistas. Haverá também exposição de grafites.

 

11h às 17h – Trocando Idéia: Low Riders e Low Bikes: Dialogo com integrantes da cultura, oportunidade de conhecer de perto e saber um pouco mais da filosofia, com os grupos Otra Vida Car Club, Guadalupe Car Club e Clã Munhão Bike Club que mostrarão seus carros e bicicletas.

 

Bate papo no “Baobá” – Mestre de Cerimônias – Markão: O Rapper, integrante do grupo DMN, que há tempos utiliza como espaço de reflexão, também será o mestre de cerimônias, desta vez comandando os bate papos ao redor do “Baobá”. 

 

12h às 13h30 – PAULA LIMA convida para conversar sobre: Juventude século XXI: sexualidade e saúde: A cantora, renomada musicalmente destaca-se com sucessos que dialogam com o rap, o funk e suingues que ganham novas roupagens em sua voz. Neste dia, para discutir com a juventude, acolhe no Baobá; Albertina Duarte – Médica, ginecologia, Coordenadora do Programa de Saúde do Adolescente da Secretaria Estadual da Saúde do Estado de São Paulo e da Casa do Adolescente na capital paulista, especialista em sexualidade e saúde; Suzana Kalckmann – Doutora em Ciências, pesquisadora científica do Instituto de Saúde, Secretaria de Estado da Saúde de SP. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Saúde Reprodutiva, e foco nas temáticas: saúde, contracepção e prevenção de DST-AIDAS com recorte em raça/etnia e gênero; Osmundo Santos de Araújo Pinho

Pós-Doutor em Ciências Sociais pela Unicamp. É professor adjunto no Centro de Artes, Humanidades e Letras da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, campus de Cachoeira. Tem pesquisas junto às temáticas sobre relações raciais, identidades sociais, sexualidade e gênero.

 

14h às 15h – DJs na área: Work Shop com o DJ Erick J: O atual bi-campeão do Hip-Hop DJ e vice-campeão do DMC Brasil Championship – importantes espaços de competição que envolvem DJs de todas parte do Brasil e do mundo.

 

15h30 às 17h – GOG – Convida para conversar sobre: “Juventude século XXI sobre vivências”: Rapper de extraordinária atuação no Hip-Hop, tanto nos palcos como em palestras e bate papos conversará sobre Violência, existências, educação, relações de gênero, direitos e a capacidade potencializadora do Hip-Hop e, neste dia, para discutir com a juventude, acolhe no Baobá –  Magali Mendes – Coordenadora do Festival Comunitário Negro Zumbi, Filosofa pela Unicamp- SP, Membro do Fórum Estadual de Mulheres Negras e Promotora Legal Popular; Reinaldo Gomes – Bacharel em Direito, é Coordenador de Políticas de Juventude da Secretária Executiva do Pronasci (Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania) do Ministério da Justiça; Hamilton Rangel Júnior  – Doutor em Direito pela Universidade de São Paulo, Membro e pesquisador associado do Laboratório de Estudos sobre a Intolerância – LEI, da Universidade de São Paulo, Coordenador do Curso de Direito da Universidade Nove de Julho

 

17h30 às 18h30 – Pra entrar na roda – Work Shop de dança com Tsunami All Stars Crew, grupo, composto por integrantes de São José do Rio Preto e São Paulo, 1º no Duelo, 1º colocado na Battle Brasil, 3º colocado no campeonato mundial de Breaking realizado na Coréia do Sul e 5º colocado na Battle of the Year na Alemanha, em 2008.


Palco Principal – Show


19h – DJ RM – 1º Lugar no DMC Brasil Championship – maior campeonato de DJs do mundo.
Rappin Hood – Músico, cantor e compositor, apresentador do programa Rap Du bom da 105 FM, apresentador do programa Manos e Minas da TV Cultura, Rapper e incentivador da Cultura Hip-Hop.

Categorias:Eventos
  1. robson
    2 agosto, 2009 às 11:10 pm

    com certeza esse vai ser muito bom o do ano passa do esteve otimo
    agradeso a todos que organizarão este evento.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: